Geely quer alçar voo com aquisição da americana Terrafugia

postado em: Autossustentabilidade | 0

terrafugia-tf-x-2 Geely quer alçar voo com aquisição da americana Terrafugia

Pode ser o famoso táxi londrino ou marca nórdica respeitada por sua segurança. Não importa, o que é a Geely quer é crescer e isso passa mesmo pelo controle da inglesa Lotus, bem como do inovador sistema de mensalidade para uso de automóvel da chinesa Lynk & Co. Depois dessas e de outras aquisições, a empresa capitaneada por Li Shufu agora quer alçar voo, literalmente.

Destaque na imprensa americana, seja automotiva ou não, a recente compra da Geely promete colocar a empresa em novos ares. A americana Terrafugia, conhecida por seu objetivo de colocar um carro voador no mercado dos EUA e de fora dele, foi adquirida pelo grupo chinês, que promete lançar o primeiro carro voador do país, em termos comerciais, já em 2019.

Fundada em 2006 por um grupo de engenheiros do MIT (Massachusetts Institute of Technology), a Terrafugia sempre se dedicou a um único objetivo, fundir carro e avião num só veículo, pratico, simples e seguro, que pudesse unir o melhor dos dois mundos. De lá para cá, a decolagem da empresa no mercado americano foi abortada algumas vezes, mas com a Geely, a decolagem será autorizada em 2019, conforme divulgado.

terrafugia-tf-x-2 Geely quer alçar voo com aquisição da americana Terrafugia

O primeiro modelo a ganhar as alturas será o Transition (foto acima), um carro voador de dois lugares com asas dobráveis, que custará US$ 279.000. Para os interessados, a Terrafugia reserva o produto por US$ 10.000. Logicamente, quem comprar o veículo terá de ter licença para pilotar um avião, além da carteira de habilitação, é claro. Em menos de um minuto, as asas são desdobradas e o Transition decola em poucos metros. São 644 km de autonomia de voo e velocidade de cruzeiro de 160 km/h.

Mas, para quem não tem tanto espaço para decolar, a saída é esperar até 2023, quando a Terrafugia promete o lançamento do TF-X (foto no alto). Este carro voador é um tipo de Tilt-Rotor, que possui motores e hélices montados nas pontas de pequenas asas, sendo estes articulados para prover decolagem totalmente vertical e posteriormente para um voo horizontal através da mudança de posição dos propulsores.

O sistema de propulsão é bem parecido com o do Boeing V-22 Osprey ou do Bell V-280 Valor, ambos focados no uso militar. Não por acaso, o CEO da empresa é Chris Jaran, que trabalhou anteriormente no famoso fabricante de helicópteros. O TF-X terá cruzeiro de 322 km/h e alcance de 805 km.

Apesar de querer o céu, a Geely não é a única que decidiu apostar em rodas que saem do chão. A Daimler investiu no Volocopter, um tipo de táxi voador, enquanto a Toyota também pesquisa o desenvolvimento de um veículo aéreo para transporte de passageiros. O Uber quer voar também e fechou parceria com a NASA. E então, para essas empresas envolvidas com carros, o céu é o limite?

Fonte: Notícias Automotivas

Origem: Fox News