BMW DIVULGA IMAGENS DE TRABALHO EM PROJETO DE MOTO ELÉTRICA

postado em: Autossustentabilidade | 0

Fabricante alemã utiliza componentes de carros no E-Power Roadster, que acelera mais rápido do que uma S 1000R

#

A eletricidade parece ser realmente o futuro quando o assunto é mobilidade. No mundo das duas rodas já existem fabricantes totalmente dedicadas à produção de motos elétricas – como a Zero e a Energica, por exemplo – e as grandes marcas ou já se renderam e lançaram motocicletas que utilizam a força gerada por baterias para rodar, caso da Harley-Davidson LiveWire, ou desenvolvem projetos para um futuro não tão distante.

É o caso da Kawasaki, que revelou recentemente imagens e um vídeo do trabalho em uma moto elétrica. Quem faz isso agora é a BMW, que revela as primeiras imagens de um trabalho que vem sendo feito de forma discreta: a moto conceito E-Power Roadster.

A E-Power Roadster é formada por componentes de outros produtos da fabricante alemã. A dianteira, por exemplo, é a da S 1000R, enquanto a traseira vem da R 1200RS.

Mas é na bateria que o projeto surpreende ao buscar elementos dos carros da marca. A bateria é dos carros híbridos da Série 2, enquanto o motor elétrico vem da Série 7 vendida no mercado chinês.

ACELERANDO QUASE COMO UMA S 1000RR
Segundo dados divulgados pela própria BMW, a E-Power Roadster pesa 290 quilos. Mesmo com esse peso, a aceleração é brutal: a moto vai de 0 a 60 milhas por hora (0 a 96 km/h) em 2s9, apenas 0s2 mais lento do que a superesportiva da marca, a S 1000RR.

Para efeito de comparação, a BMW realizou um teste de arrancada comparando a E-Power Roadster e a S 1000R. Sem marchas, bastando acionar o acelerador para ter torque máximo de forma instantânea, a moto conceito deixou para trás a naked, que era conduzida por um dos pilotos de teste da marca.

METAS PARA A PRODUÇÃO
Por se tratar de um conceito, ainda há questões a serem resolvidas. A E-Power Roadster pode ser recarregada no sistema de carga rápida, mas ainda limita a velocidade da recarga quando a temperatura da bateria passa de 40°C. A fabricante diz que trabalha em um sistema de refrigeração para evitar o aquecimento durante a recarga.

A BMW tem duas metas antes de iniciar a produção de uma moto elétrica. A capacidade de recarga, por exemplo, deve ser de 5,95 quilômetros de autonomia adicionados a cada minuto de recarga. Com isso, em 30 minutos o motociclista poderia rodar 178,5 quilômetros sem precisar parar.

O outro ponto é a autonomia total da moto. Para o chefe da BMW Motorrad, Christoph Lischka, uma moto com o perfil da E-Power Roadster só pode ser lançada quando puder percorrer pelo menos 200 quilômetros com uma carga.

“A E-Power Roadster é uma moto com perfil esportivo e para alguém que quer pilotar nas montanhas e realmente aproveitar cada detalhe da pilotagem. Para essa pessoa, a moto precisa ter uma autonomia de 200 quilômetros, então não vamos lançar a moto até que ela seja capaz de rodar de 200 a 300 quilômetros de fato. No momento, o mercado e a infraestrutura para dar apoio a uma moto assim não está pronta”, disse o dirigente.

“Não queremos ser como a Tesla (fabricante de carros elétricos), que instala pontos de carga rápida em todos os lugares – eles custam cerca de € 110.000 (mais de R$ 503 mil) cada. Na BMW precisamos ganhar dinheiro, não jogar dinheiro fora”, completou Lischka.

Fonte: moto.com.br